13 Comentários

Tratamento de efluentes

Este espaço é dedicado à discussão e estudos de soluções acerca da emissão de efluentes para a Casa da montanha. As opções para esta casa e também outras possibilidades, em outros espaços de permacultores.

Os efluentes de uma moradia são basicamente de dois tipos que seriam lixo domiciliar e águas servidas. Pensar os efluente definitivamente é pensar como se vive, no que se usa, o que se come, o que “sobra” da sua maneira de viver. Na nossa maneira de viver e na alimentação somos simples, alimentos orgânicos, com elementos de macrobiótica e quase nada de produtos industrializados. Como produto de limpeza fazemos sabão em casa (ver na página receitas)nada de produtos outros para limpeza, como águas sanitárias ou outros produtos multi-uso… Estes hábitos fazem com que nossos efluentes não sejam nada complicados de se tratar…
No design da Casa da montanha está previsto uma composteira para restos de frutas e verduras, um minhocário para também processar estes resíduos. Todo o lixo reciclável, como garrafas serão recolhidos e levados para locais de coleta.

Mas e as águas usadas como tratá-las? Bem estas águas são separadas em dois tipos e isto implica em tratamentos diferentes para casa uma delas:

  • águas cinzas- aquelas que vem das pias, chuveiros, máquina de lavar roupa.
  • águas negras- as que vem de privadas e tem contato com fezes.

As águas cinzas são facilmente processadas em círculos de bananeiras, que devem ser dimensionados para casa casa. Pode-se também fazer uma seqüência de círculos que vão tratar estas águas. O princípio é deixar que estas águas sejam processadas pelas bananeiras, que irão evaporar as águas usadas. É uma solução simples e eficiente qe resolve este problema.

Na foto abaixo o círculo de bananeiras da casa mãe de Yvy Porã.

im004265.jpg

Já águas negras exigem outro tratamento, mais cuidadoso e um sistema mais complexo. Estas águas podem ser tratadas em uma bacia de evapo-transpiração, que é um sistema de emissão zero- quer dizer, nada sai dali. É uma piscina de no mínimo 1m de profundidade, impermeável, é como se fosse um filtro de cabeça para baixo. Ou seja a água chega em baixo, num grande tubo, depois passa por camadas de material poroso onde acontecerá a fermentação anaeróbica dos resíduos, e a água excedente vai subindo, passando por britas, areia, terra e finalmente plantas que ajudam a evaporar estas águas já limpas.

Sugerimo ver as postagens chamadas “Oficina das Águas” neste blog onde videos mostram a construção de uma bacia de evapo-transpiração na casa dos permacultores Suzana e Jorge em Florianópolis, onde o tratamento convencional foi substituído por este que tem emissão ZERO.

Mas na casa da montanha não usaremos esta bacia, pois iremos fazer um banheiro seco, o que significa que as águas da casa serão apenas águas cinzas.

O banheiro seco é um sistema onde o vaso sanitário chega a uma câmara de compostagem onde as fezes são depositadas com serragem que fornece o equilíbrio Carbono + nitrogênio, fazendo com que nossos resíduos se compostem. Para quem nunca viu é mais ou menos como “dar a descarga” com serragem. Esta câmara tem ums chaminé, que leva os vapores e gazes pasa cima, e é coberta por uma chapa de metal, que ao ficar exposta ao sol aquece a câmara e mata a maioria dos patógenos pois atinge 70 graus. O material que sobra, depois de 6 meses compostando, pode ser usado diretamente nas plantas ou se desejar, colocado no minhocário que transforamará em húmus- exelente para a horta.

Assim,se fecha o ciclo dos resíduos da casa, e passamos a nos ver e AGIR como parte de um sistema.

Para saber mais:

Círculo de bananeiras

http://www.setelombas.com.br/2006/10/14/circulo-de-bananeiras/

http://www.permear.org.br/fotos/circulo-de-bananeiras/

bacia de evapo-transpiração

http://www.permear.org.br/pastas/documentos/permacultor4/Bacia-evapo.pdf

http://www.permear.org.br/fotos/bacia-de-evapotranspiracao/

banheiro seco:

http://www.setelombas.com.br/2006/04/20/sanitario-compostavel/#more-35

http://www.permear.org.br/fotos/banheiro-seco/

http://www.bioarquiteto.com.br/2008/05/sanitario-seco-nao-e-tao-novo/#comments

13 comentários em “Tratamento de efluentes

  1. Su, sabe quais as medidas dessa bacia de evapotranspiração????

  2. Odair
    A bacia de evapo transpiração se calcula por usuários, mais ou menos 2m³ por pessoa. Mas ressaltamos que é um sistema dinâmico- quer dizer, vbai se auto-regular pelas pessoas usando…Então, calcule as visitas eventuais e saiba que se encher a casa ele pode transbordar! Claro!!! 8 banhos não é o memsoq ue 4 banhos….
    E sempre a mais de um metro de profundidade- quer diz a profundidade MÍNIMA é de 1,10m para assegurar a fermentação anaeróbica.
    Suzana

  3. Esse dimensionamento serve tanto para locais com alto quanto com baixo índice de evapotranspiração real?
    No caso de locais públicos, onde há visitação com alta variação, como se faz para dimensionar? É necessário quanto tempo de detenção hídrica (TDH)? Qual a relação Comprimento/Largura ideal????
    Qual a granulometria das brita utilizada? Quais os dispositovos de entrada, saída e monitoramento adotados??
    É necessário pré-tratar o esgoto bruto com sistema de decanto-digestor anaeróbio, filtro biológico, ou pode ser lançado esgoto bruto diretamente?
    Não é necessário um sistema de drenagem superior, no caso de chuvas muito bruscas ou grande variação de vazão?
    Não encontro nenhum artigo técnico sobre o assunto, alguém sabe onde encontro algo sobre isso?? A NBR só fala sobre a bacia de evapotranspiração e infiltração! Qual a norma técnica para a instalação desse sistema??

    Por favor, me ajudem!!
    Abraços,
    Augusto Barbosa
    Engenheiro Ambiental

  4. Olá, quero instalar uma bacia de evapo-transpiração mas o meu terreno é muito úmido e o lençol freático é muio próximo a superfície. Não daria para respeitar a profundidade mínima de 1,10m porque a água subterrânea já aparece ao cavar cerca de 30 cm. A minha pergunta é se mesmo nessas condições ainda é possível construir a bacia ou existe uma outra alternativa para o tratamento dos efluentes sem contaminar o lençol?

    Obrigado pela ajuda!

    Rodrigo Stolze – BA

  5. Rodrigo
    Leia nos comentários acima a resposta à tua pergunta… A profundidade é fundamental, pois é ela que garante a sanidade do sistema…
    Suzana

  6. Olá Suzana,

    Até o momento estavamos utilizando apenas banheiros secos em karaguatá. Porém, na nossa casa eu e Felipe estamos planejando implantar o sistema de fossa asséptica biodigestora apresentado pela Embrapa no seguinte artigo: http://www.cnpdia.embrapa.br/publicacoes/download.php?file=CT46_2002.pdf

    Achamos bem simples a utilização. Espero que realmente funcione…

    O que vocês acham?

    Abraços,
    Mônica

  7. Oi, Mônica
    Que bom saber de você.
    Esteve vendo a proposta no link que você nos ofereceu. Sem dúvida que este sistema funciona.
    Agora bem…. acho que é possível atingir dois objetivos a um custo bem menor.
    Primeiro objetivo é tratar as águas pretas (fossa séptica) .
    Segundo não ter nenhuma emissão de efluente, quer dizer “emissão zero”.
    Para isto desenvolveu-se a bacia de evapotranspiração, podes ver este tema no
    arquivo de setembro de 2008 no tema oficina das águas.
    Grande abraço e beijão.

    Jorge

  8. Olá

    Fiquei com uma dúvida em relação à resposta que a Suzana deu na postagem de 13 de fevereiro. Sobre o dimensionamento da bacia de evapotranspiração, ela diz que é preciso dimensionar bem, pois “8 banhos não é o mesmo que 4 banhos”. Mas a água do banho é tratada na bacia de evapotranspiração ou no círculo de bananeiras? Na bacia de evapotranspiração não vão APENAS as águas com fezes? Na casa que estou construindo, projetei o encanamento dos vasos sanitários para uma bacia de evapotranspiração e os canos de pias e chuveiros para o círculo de bananeiras. Obrigado!

    • Oi, Maikon.
      Muito boa a sua colocação!
      Sem dúvida estás certo: na bacia de evapo-transpiração vão apenas águas pretas. As águas cinzas vão para o círculo de bananeiras.
      Mas AMBOS devem ser dimensionados, como sistemas vivos, para os usuários… Um círculo de 1m³ tem uma capacidade… se forem mais pessoas o círculo deve ser maior! Ou seja, usamos um círculo de mais ou menos 1m³ para uma família de 4 pessoas, se forem mais, aconselha-se ou fazer mais de um círculo, ou um maior…

  9. Oi, Suzana

    Gostaria de tirar mais uma dúvida. Construí o sistema de evapotranspiração no meu terreno. Fizemos o fundo com cimento e tela de galinheiro, e para garantir a impermeabilização ainda pus um plástico preto sobre o cimento. Depois uma amiga me perguntou se isso não faria o sistema transbordar em caso de muita chuva, pois se ficasse apenas o cimento no fundo, um pouco da umidade poderia sair através dele. Com o plástico junto, isso não aconteceria. Fiquei receoso de contaminar algum lençol freático, e por isso resolvi colocar o cimento e junto o plástico. Agi corretamente? Desde já, agradeço sua atenção e envio um grande abraço!

    • Oi, Maikon
      Veja, a cobertura da bacia deve ser um morrinho acima do nível das bordas, exatamente para evitar que as águas de chuva façam uma possa…. Ou seja, num caso de muita chuva, (ou pouca) a única água que terás a mais no sistema é a que vem do céu, e NUNCA a a que pode vir escorrendo pelo terreno…
      Suzana

  10. Olá, Suzana

    Desde já agradeço por sua atenção em responder nossas dúvidas. E lá vou eu com mais uma! Como já disse em post anterior, construí uma bacia de evapotranspiração em minha casa, que está em uso há dois meses. As taiobas e bananeiras já estão crescendo sobre ela! Um amigo meu que trabalha construindo sistemas de tratamento disse que eu deveria ter construído uma fossa para armazenar os dejetos sólidos, pois eles não deveriam ser jogados na bacia, mas apenas a água. Disse que logo terei problemas com o sistema e não terei como drenar os dejetos acumulados no local. O Augusto de Oliveira Barbosa já fez essa pergunta anteriormente nesta página, mas acho que não teve resposta. É preciso construir uma fossa decantadora antes da bacia? Pelo que entendi na apostila do site permear, não é preciso, por isso construí o sistema recebendo o esgoto bruto, sem separar os sólidos, para tratamento direto. Fiz corretamente?

  11. Essa dúvida também foi reforçada porque no site da Permear, no link Tratamento de Esgotos, há um material zipado “Sistemas individuales para el tratamiento de aguas”, e nele há um PDF de Evapotranspiracion. No sistema mostrado, há uma fossa séptica antes da “cama de evapotranspiracion”. Mas já no documento “Bacia de Evapotranspiração”, no mesmo link, não é mencionada nenhuma fossa séptica instalada antes do sistema. Entende-se que o sistema é capaz de tratar o esgoto bruto. Muito obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: