Queimador de álcool para aquecer água para banho

Depois do êxito do aquecedor de água com lenha na Casa da Montanha, seguindo em parte a teoria do rocket stove, decidimos realizar o mesmo na casa mãe. Tudo foi quase igual: a estrutura básica de tijolos, assentados com barro e açúcar, grade e porta de ferro fundido e boiler de aço inóx reutilizado.

RoquetCasaMae

Só que não consideramos um dos aspectos fundamentais na construção de um fogão, que é o dimensionamento da chaminé. Explicando melhor. Usamos um boiler que havíamos comprado nos inícios do sitio Yvy Porã. Este tinha um diâmetro muito pequeno na saída da chaminé (5-7 cm), uma saída adequada  para queimar gás, mas não para queimar lenha. Porém só percebemos este erro com o tempo.

Instalamos o aquecedor e com apenas alguns dias de uso ele entupiu, começando a jogar fumaça pela porta. Imaginamos que poderia ser um  problema de lenha molhada, ou mau uso… No entanto, durante o PDC de 2013, verificamos que ele entupiu, ficando cheio de uma fuligem muito densa e dura que inviabilizou o seu uso.

Como sempre, aprendemos através de erros e sua correção. Agora sabemos, na prática, que uma chaminé para um queimador a lenha, ainda que seja um rocket, que queima melhor, precisa de uma vazão determinada e esta não pode ser menor do que 12 cm de diâmetro.

Para um queimador de gás, por exemplo, que queima sempre com chama azul e não cria fuligem, podemos usar uma chaminé com uma vazão bem menor e assim aproveitar melhor o calor gerado na combustão.

O que fazer com o sistema de aquecer água para banho na casa mãe? A alternativa de usar gás, no caso propano/butano, não é coerente com a nossa visão de diminuição no uso e queima de combustíveis fósseis. Frente a estes fatos ficou a compreensão de que teríamos que trocar o boiler e reformar a instalação de água (possivelmente para adaptá-la ao novo recipiente) com o consabido desânimo que isto produz. Mas… vejamos o contexto em que estamos, será que nele não existe outra solução para o problema?

Leia mais »

Anúncios

Área de serviço: tanque e patamar de pneus

Uma casa leva tempo para ficar pronta, e a Casa da Montanha não foi diferente. Cada passinho é uma conquista e as prioridades dependem muito dos movimentos dos moradores. Como a etapa agora é a mudança definitiva para Yvy Porã, a área da lavanderia e de serviços, com o tanque, finalmente, recebeu nossa atenção. Esta área fica no setor sul da casa, ao lado da mata e da cisterna. Trabalho em equipe, segue assim, enquanto uns fazem o patamar com os pneus, Jorge faz a instalação da água para o novo tanque, usando mangueiras de polietileno.

IMG_6991

Trouxemos um tanque de cimento, pensando na robustez necessária para o trabalho com ferramentas, baldes, e outros instrumentos de um sítio. Ao colocarmos o tanque no lugar, percebemos que a passagem ficava meio estreita, assim decidimos fazer uma ampliação neste espaço, usando para isso pneus velhos que tínhamos sobrando na casa Mãe.

Para este trabalho contamos novamente, com a ajuda dos amigos Letícia e Emerson, que fizeram o PDC de 2012 e que vieram nos visitar.  Primeiro passo, colocar os pneus e visualizar o que fazer…

IMG_6981

Leia mais »

Luminárias de LED- lavanderia e holofotes para o jardim

Na Casa da Montanha uma das propostas é diminuir ao máximo o consumo de energia. Isto não é necessariamente perder conforto, ou andar com as luzes apagadas, mas repensar onde precisamos de energia, e quais as fontes disponíveis. Em Yvy Porã estamos no meio de 70 hectares de floresta, ou seja, restos de árvores que caem, galhos de podas das zonas de SAFs, são combustível para aquecer a água do banho usando o rocket stove,  e para cozinhar no fogão à lenha.
Para a iluminação da casa, a opção é usar a tecnologia LED, ainda cara, mas que barateia muito ao se comprar os componentes e construir as próprias luminárias.

IMG_6604
Seguimos neste caminho, como em outras partes da casa, Jorge fez uma grande luminária para a lavanderia, com uma base de uma velha luminária que usava aquelas enormes lâmpadas frias. Sobre uma base de alumínio colocou os pequenos LEDs em fila, espalhados para ampliar o alcance da luz. Como ainda aquecia um pouco acima do seguro, colocou uma velha ventoinha de computador (sucatas que um permacultor vai recolhendo por ai, e em determinado momento são úteis), esta peça ajuda a ventilar e esfriar o sistema, mantendo a vida útil do LED.

IMG_6602

Leia mais »

Aprendendo a fazer luminárias de bambu e LEDs

Yvy Porã finalmente está realizando mais um aspceto de sua vocação, de acolher amigos  e , agora, ministrar cursos. Não temos  o desejo de grandes grupos, pois acreditamos no trabalho um a um, relação pessoal, intransferível, de cuidar das pessoas.  Assim, os cursos em Yvy,  são para grupos pequenos, dimensionados ao tamanho da casa e à possibilidade de convivência profunda.

Nos dias 26 e 27 de maio um pequeno grupo de permacultores resolveu que ia tirar um tempo para aprender a trabalhar com LEDs. Na nossa primeira oficina de luminárias de bambu e  LEDs de Yvy Porã, os meninos se divertiram, riram e aprenderam muito. Jorge ministrou as aulas teóricas e Suzana cuidou da alimentação para todos.

No sábado aconteceram as aulas teóricas, com uma introdução sobre eletricidade e conceitos mínimos para se montar as instlações elétricas de uma residência. Voltagens, espessuras de fios, dijuntores, cargas positivas, negativas, neutro, todas as ideias básicas para compreender os mistérios destes fios que trazem luz, calor, música, etc.

Leia mais »

Oficina: uso de LEDs e luminárias de bambu

A discussão sobre uso e redução do consumo de energia elétrica é sempre um ponto importante quando se fala em sustentabilidade. Na Casa da Montanha uma das nossas estratégias neste aspecto é o uso da tecnologia dos LEDs como forma de reduzir significativamente o consumo, isto já foi assunto de várias postagens deste blog. Na foto abaixo a Casa da Montanha, com a luminária de LEDs sobre a bancada da cozinha e a mesa da sala iluminada com lâmpada de LED.

Este assunto sempre gera curiosidade, pois há uma certa mística ao seu redor. Assim, ao fazermos o cronograma de cursos e oficinas veio a proposta de que uma delas seria sobre luminárias de LED, e uso de bambu nas instalações elétricas- tanto nas luminárias, como em substituição aos conduítes. Ou seja, apenas transmitir o que fizemos, compartilhando os saberes, o que deu certo, o que pode ser melhor e fundamentalmente dando resplado a que cada um possa experimentar e fazer!

A oficina terá uma parte teórica, com noções básicas sobre instalações elétricas, manejo de bambus para instalações diversas, prática de montar luminárias com uso de LED e bambu.

Esta oficina acontecerá no fim de semana de 26 e 27 de maio de 2012, em Yvy Porã, e os interessados devem entrar em contato para inscrever-se. Como teremos aulas práticas, as vagas são limitadas a 10 participantes.




Iluminação de LED

A Casa da Montanha faz parte do projeto coletivo de Yvy Porã, onde somos 4 famílias por enquanto, para viver num espaço com base nos princípios da permacultura. Cada família tem seu espaço individual e outro coletivo. Nos espaços individuais a proposta é de que cada família busque a autonomia na construção da casa, na produção de alimentos e também na questão de energia ao longo do tempo.

Na nossa casa estamos procurando diminuir o consumo elétrico que hoje se restringe a geladeira, bomba para elevar a água da cisterna para a caixa de água e luz, já que o chuveiro usa o sistema do rocket stove. Mas ainda não é o suficiente, queremos reduzir mais ainda. Assim, decidimos já há algum tempo, substituir as lâmpadas tradicionais ( não com as de mercúrio, pois estas são as menos ecológicas, já que usam mercúrio) por lâmpadas de LED. No Brasil esta tecnologia ainda é bastante precária e cara, mas num mundo globalizado isto tem soluções, na internet pode-se comprar lâmpadas de LED por preços mais acessíveis, e assim temos feito.

Leia mais »

Forno de Pizza

Férias! Novamente a Casa da Montanha ficou sem atualizações por umas semanas… Tempos de ver a família, os amigos de longe… Mas já estamos de volta!!!!

Uma das coisas gostosas, entre tantas, são as pizzadas na Casa da Montanha . Os rituais de fazer o fogo, ir fazendo a massa, acompanhados de muita conversa com os amigos é realmente muito especial. Várias pessoas nos pediram a postagem com o passo a passo de fazer o forno, mas não tínhamos, pois quando nosso forno foi feito, faltaram mãos para as fotos! Agora fizemos um forno igual ao de Yvy na casa dos amigos Fernado e Vanessa, em um pequeno mutirão, com Jorge Beto, Sérgio e Zeca e ai, minha função foi a de tirar as fotos de toda a sequência para fazer esta postagem.

Leia mais »

Água quente no chuveiro

O tempo passa e a Casa da Montanha via ganhando confortos, antes distantes… Cada conquista tem um gostinho especial, como a pia da cozinha, as janelas, a cama, a luz, etc. Mas sem dúvida, o banheiro é um grande ícone e um elemento fundamental no conforto de uma casa. A instalação do bidê, pia e sanitário compostável foram grandes passos. O simples fato de poder tomar banho de canequinha num box fechado foi outro grande passo. E agora, finalmente, a instalação do sistema de aquecimento do chuveiro e o primeiro banho quente de chuveiro foi mesmo uma celebração.

Leia mais »

Fogão de alta eficiência- Rocket stove

Como sempre, as demandas e prioridades nos guiam… Acabou o verão, e no inverno, um banho quente é tudo de bom… Assim, resolvemos que neste ano teremos o chuveiro instalado. A proposta da Casa da Montanha envolve o viver a sustentabilidade, com ética, beleza, conforto e responsabilidade. Estamos numa área de mata Atlântica, inserido num projeto coletivo, com outras família, em 82 hectares de terra, onde aproximadamente 70 hectares são de mata. Assim, quem já entrou numa mata, sabe que madeira é excedente, as árvores tem seus ciclos, caem e ficam disponíveis para consumo, assim como áreas de vassouras e outras plantas, como acácias e bracatingas são fontes de madeira. Por isso, na Casa da Montanha a proposta de aquecimento de água para o chuveiro, é usando um aquecedor a lenha.

Um dos pontos importantes a ressaltar é que muitas vezes nos deparamos com o espontaneísmo no que se refere a construções ecológicas, os famosos mutirões  ou mesmo sair dando uma oficina sem nunca ter experimentado fazer algo, e nem ver os problemas que podem acontecer com o tempo… No nosso ponto de vista, a responsabilidade é o “fazer bem feito, seguindo o bom ofício, com critério, funcionalidade, segurança e beleza” são pontos que autorizam as construções ecológicas. Mas obviamente isto dá trabalho, requer tempo e uma disponibilidade de fazer e refazer… Na foto abaixo Jorge avaliando a primeira montagem do nosso sistema de aquecimento de água para o chuveiro.

Leia mais »