Verduras orgânicas: fazendo a ponte entre produtores e consumidores

A segurança alimentar é uma das propostas de base da permacultura. Segurança alimentar é comer bem, um alimento saudável. Quando se fala em cuidar das pessoas e cuidar do planeta, pressupõe-se que o cultivo de alimentos é integral, orgânico, ecológico, livres de agrotóxicos e pesticidas. Ou seja, é o cuidado fundamental para com as pessoas. Em geral, gente que vive no contexto urbano tem dificuldade de produzir , achar ou comprar o alimento orgânico, tendo que buscar um entreposto de alimentos naturais, ou nas grandes redes de supermercado, por vezes a preços um tanto quanto abusivos.

Um dos caminhos sempre sonhados quando se fala em sustentabilidade é unir as duas pontas desta cadeia: consumidores e produtores, fazendo com que um e outro se conheçam, se encontrem. Ou seja, acreditamos que o maior “selo” de qualidade e certificação é a relação direta entre quem compra e quem vende, o comprador sabendo de onde vem produto que o “fulano produz”, e nesta confiança se faça um reconhecimento e, por que não, uma amizade.

Nós, permacultores, acabamos formando uma bela rede, embora muitos ainda vivam mais no meio urbano, temos grande permacultores já no campo, gente com história de família de produtores rurais. Jorge e eu, Suzana, transitamos há muitos anos entre estes dois pólos, com muitos amigos produtores, permacultores, que vem se organizando e  vendendo seus produtos. Como agentes urbanos, acabamos falando com amigos e vendendo alguns produtos permaculturais entre os amigos urbanos, como o suco de uva do sítio Raízes, por exemplo. Na foto abaixo, Elena e a produção de uvas orgânicas. Nas palavras do Pedro Marcos  ” produzir e comercializar com respeito e ética é que nos dá energia para continuar nesse processo bonito de interação entre produtor X consumidor e principalmente a participação dos consumidores acompanhando a produção no local e construindo um tecido saudável de relações e confiança.Essa atividade fortalece o sonho de dias melhores no meio rural, dando novamente esperança aos verdadeiros produtores de alimentos. Vendo nossa filha Elena crescendo em nosso sítio, com nossos  familiares e amigos podendo consumir alimentos limpos e com princípios de produção, isso nos deixa muito felizes e de consiência leve pois servimos ou comercializamos os mesmos produtos que consumimos com nossos familiares.”

Continuar lendo

Anúncios

Caixa acústica de bambu para I Phone

A internet é uma grande ferramenta de comunicação e aprendizado. Há umas semanas vi no Facebook uma caixa acústica de bambu para I Phone, invenção do engenheiro Anatoliy Omelchenko. Não temos  I Phone ou nada parecido, mas a simplicidade da ideia e a possibilidade de mostrar como é possível fazer algo simples, ecológico e funcional nos encantou. Assim, pensei que isto poderia ser uma atividade para se fazer com as crianças ou mesmo adultos em alguma oficina, mas em primeiro lugar é preciso fazer uma vez pois nem sempre o  que parece simples é simples de se fazer. Abaixo a foto que nos animou a fazer!

Como tínhamos apenas a foto do projeto, usamos as proporções contidas nas imagens e pegamos as medidas do I Phone  e mãos à obra!

Passo um: cortar o bambu com um nó no meio. Nesta primeira peça usamos o bambu comum (bambusa vulgaris) colhido numa lua minguante, de um mês sem “R”, ( maio a agosto) este é o único tratamento que usamos para o bambu. Pensamos que na próxima peça podemos usar o Philostaquis, que permite lustrar com a resina do próprio bambu. O comprimento da peça total foi de 36cm, ou seja, 18cm para cada lado do nó e o diâmetro  de  5cm.

Passo dois: serrar as pontas a 45 graus. Para isto usamos a ferramenta que fixa o bambu e mantém a serra a 45º. Cortados os dois lados, passamos uma lixa para tirar qualquer fiapo e manter a peça inteira.

Continuar lendo

Fazendo permacultura nas cidades

Em geral, ao falarmos de permacultura sempre aparece a questão: e a permacultura nas cidades, ou  a falada  Permacultura Urbana?  Não gostamos de hífens, ou de subtítulos… Permacultura é uma metodologia para a construção de sistemas humanos sustentáveis! A permacultura urbana nada mais é do que levar soluções sustentáveis também para dentro das cidades. Mas vamos entender que mega-cidades são insustentáveis: não há como ter soluções para espigões de edifícios de 30 andares, com 2 famílias por andar, numa área de 1000m², se tanto… É preciso realmente aprofundar e encarar som seriedade o significado do conceito SUSTENTABILIDADE.

Adaptar nossas casas, tradicionais, para soluções sustentáveis é possível, mas dá trabalho e exige vontade para tal. Certamente este é o primeiro passo: o estar disponível!

Captação de água de chuva para uso doméstico também é uma estratégia simples e possível na maioria das casas. Basta uma calha e uma área de 7m²  para a construção de uma cisterna de 15.000 litros. Na foto abaixo a cisterna na nossa casa em Florianópolis.

Continuar lendo