Deixe um comentário

SAFs- ou simplemente Floresta de alimentos!

O que é uma floresta? Um espaço de vida, com diversidade de animais e árvores, em extratos diferentes, umas maiores outras menores e de onde se colhem frutos. Um Sistema Agro Florestal- SAF é imitar a natureza da floresta, cultivando plantas em grande diversidade buscando a produção de alimentos.

Nas nossas zonas 2 plantamos há 6 anos grande diversidade de leguminosas, em parceria com as frutíferas. As leguminosas que plantamos foram bracatingas, acácias, patas de vaca, chuva de ouro.  O esperado era o crescimento rápido, para cumprirem as funções de dar sombra e proteger as mudas das frutíferas, além de nitrogenar o solo.  Nossas frutíferas plantadas: abacateiros, laranjas, limões, ingás, pitangas, tamarindos, nonas, lichias,nêsperas, peras, etc. Na foto abaixo uma das lichias, muda feita pelos amigos Claudia, Geraldo e cia, agora já com 6 anos.

Nestes anos seguimos a frase do Tom Jobim, sempre lembrada pelo o Itamar “deixa o Mato crescer em paz”… Fizemos o manejo a cada verão, roçando as gramíneas e agrupando a palhada ao redor das mudas. Com estas simples ações as plantas cresceram fortes e saudáveis. Hoje as leguminosas estão altas, e como várias são árvores de ciclos curtos que se fecham alguns em 12 anos, começamos a visualizar nosso grande pomar. Na foto abaixo uma parte da zona 2 antes do manejo, com as leguminosas enormes e as frutíferas na meia sombra.

Como as leguminosas cresceram, chegou a hora da primeira grande poda, para permitir a entrada do sol e floração na primavera das frutíferas. Aqui Rafael podando a árvore ainda na zona 1, que estava sombreando demais a nova horta.

Aproveitamos a juventude e a vontade de aprender do casal de permacultores  Drica e Rafael – outros cearenses que vieram visitar Yvy Porã e lá fomos nós podar as árvores. Suzana e Jorge deram as orientações de como podar, mantendo seu equilíbrio e dicas de manejo do serrote de poda, mas quem fez o trabalho mesmo foi o Rafa, subindo em escadas e árvores, serrando, etc. Foi mesmo uma aula prática…

No final do dia, sobraram galhos e folhagens. As ramas finas são deixadas aos pés das frutíferas, para servirem de alimento a cada árvore, os galhos médios e grossos viram lenha para a Casa da Montanha. Depois da poda Diego roçou e Suzana foi recolhendo a palhada para os pés de cada árvore.

Deixar os caminhos limpos para passear pela zona 2 é um outro aspecto bem legal, pois caminhar num bosque comendo frutas é delicioso- talvez daí venha a famosa frase de Bill Mollison , de que fazer ” permacultura é criar um jardim do éden”…

Aproveitando a luna minguante de julho, também fizemos o manejo das nossas touceiras de bambus giganteus, tirando os colmos maduros, manejando os brotos de forma a abrir espaço e permitir que os novos colmos cresçam saudáveis e retos. NA foto abaixo, tirada de longe, pode-se ver o tamanho do bambu, comparado ao Jorge, que é um homem de quase 2m de altura…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: