21 Comentários

Reboco com a receita de Jorge Belanko

Uma das paredes do sul, a de pau-a-pique duplo, ao lado do forno de pizza ainda estava sem reboco do lado de dentro. Assim, resolvemos que ali iríamos experimentar um reboco 100% natural, apenas com materiais naturais. Para isto seguimos a receita de Jorge Belanko, bio-construtor da cidade de El Bolson, sul da Argentina. Esta receita se encontra no excelente video “El barro, las manos, la casa”. na foto abaixo a parede antes de receber o reboco

O traço é

1 balde de esterco fermentado durante 10 dias com 2 baldes de argila quebrada e peneirada.

1 litro de grude cozido até o ponto de pirão ( 6 colheres de polvilho + 1 de vinagre + 1l de água)

1 copo de leite em pó

1 balde de areia fina peneirada

Colhi esterco no nosso vizinho que cria vacas, e usando a argila vermelha que usamos para tinta que veio da Chácara Boa Vista, lá do Panará, deixamos fermentado num tonel o esterco e a argila bem misturados.

Depois de 10 dias ele estava parecido, e achávamos que teria um cheiro forte, mas não foi tão forte assim, dando para trabalhar perfeitamente.

Na foto acima Suzana colocando o grude na mistura, que como sempre começa pelos materiais secos, já que fica mais leve de trabalhar. Fizemos a mistura, sempre com o cuidado para não colocar água demais, que embora ajude na mistura, não é o correto para o reboco. Água demais faz com que a dilatação x contração seja muita e aumentem as rachadura.

Bem, depois de exercitar os braços, fazendo com que a mistura ficasse homogênea, hora de colocar o reboco na parede. Para isto molha-se a parede com uma brocha, e em seguida, começamos a colocar a massa sobre a parede. Como nesta massa não temos nem cimento, nem cal, é possível trabalharmos com as mãos-  como diz Belanko, “a melhor ferramenta que já se inventou para construções”!

A massa mostrou-se bastante macia, acetinada e fácil de trabalhar. Suzana foi colocando-a na parede com as mãos, e o acabamento final foi com uma colher de pedreiro, alisando bem a superfície.

Como sobrou massa, diluímos com mais água, fazendo uma tinta densa, que foi usada para pintar pelo lado de fora as paredes do sul, onde os rebocos grossos colocados apresentavam pequenas trincas. A ideia era que este reboco diluído como nata preenchesse as trincas, e o resultado foi mesmo este.

Sobrou um pequeno balde desta massa, que deixamos hidratada com um pouco de água, para ser usada para dar o acabamento final, daqui a duas semanas, quando este reboco grosso secar. Na foto abaixo, Isabel, parceira de Yvy ajudando a limpar o espaço de trabalho.

E o cheiro? Sim, no dia da aplicação se sente um cheiro de vacas por perto… No dia seguinte isto é só ao se chegar muito perto. Depois de 4 dias o reboco apresenta trincas, está bem fixado na parede e do cheiro, nada mais, nem  mesmo ao se cheirar bem de perto. A textura desta reboco é muito acetinada mesmo, sem a aspereza de outros materiais. Ficou lindo mesmo… Agora é esperar secar totalmente e aplicar o restante da massa como reboco fino sobre ele, preenchendo as fissuras.

Anúncios

21 comentários em “Reboco com a receita de Jorge Belanko

  1. Olá!
    Quem é vivo sempre aparece!!
    Depois de um bom tempo sem ver o andamento das obras de Yvy, voltei. Gente, parabéns, parabéns. A força que vocês têm, e a energia dessa casa são fascinantes.
    Um abraço!

  2. Jorge Belanko é uma pessoa incrível: bom saber que suas experiências têm contagiado tantas pessoas aqui no Brasil. Como ficou a parede, após a aplicação do reboco fino?

  3. Amei o site! Estou construindo uma cozinha alternativa com fogão e forno a lenha, e as paredes de taipa. Suas dicas me guiarão nesta empreitada, e a partir de hj serei assidua. Forte abraço a todos e continuem dividindo experiencias. Itana Meireles

  4. Que legal esta receita de reboco 100% natural. Vamos experimentar na construção da Casa Mãe do Centro de Vivências da OPA no Diogo. Deu vontade de por a mão na massa. Gratidão!
    Saudações da Bahia!
    Isabela e Lua

  5. Assisti ao video indicado, na receita então foi colocou um copo de oleo de linhaça para dar flexibilidade, é isto mesmo? Outra pergunta…estou finalizando meu forno a lenha e gostaria de saber se caso adicione açucar a massa poderia então rebocar o exterior do forno? Outra coisa, agora estou morando mais perto (Palhoça) logo faço uma visita à voces! grande abraço!

    • Oi, Pedroni
      O óleo de linhaça da impermeabilização a tintas e rebocos.
      Massa com açúcar racha menos. Eu não rebocaria o forno, existem diferentes coeficientes de dilatação (entre tijolo e reboco) e com o calor gerado no forno é provável que descasque.
      Abraço.
      Jorge

    • Marine
      Na verdade eu esqueci de colocar a linhaça… Quando lembrei, já era tarde! Mas o reboco ficou lindo e segue super inteiro ainda hoje!

  6. Gostaria de saber como voces lidam com as paredes do box do banheiro? nunca assisti nenhum video sobre as paredes de um box de banheiro.Queremos aumentar nossa pousadinha com quartos de adobe.
    sitiopassarim@gmail.com

    • Oi, Antonio
      As paredes do box não tem nada de especial.
      Você pode optar por box em vidro temperado ou construir a parede com qualquer técnica com terra, e logo revestir com cerâmicos.
      O único cuidado, para a adesão dos cerâmicos, é fazer uma imprimação sobre a superfície de reboco de terra, Isto é feito com a mesma massa para colar os cerâmicos (ciment-cola), se faz diluindo um pouco a massa em água e sujando apertado, com uma esponja, a parede. Logo se faz a colocação das peças cerâmicas como em qualquer parede.
      Abraço.
      Jorge

  7. Queridos, estamos precisando refazer reboco interno do banheiro seco. Vi que nesta receita vocês não usaram cal. Vocês podem me explicar novamente qual a função do:
    – cal
    – leite (e precisa ser em pó?)

    Bjs,

    • Oi, Carapequinhos
      A estrutura do reboco, na construção atual, é a areia; o aglutinante costuma ser o cal e/ou o cimento.
      No caso da construção natural substituímos os aglutinantes industriais (cal e cimento) por outros que sejam naturais.
      No caso do cal, pessoalmente, faço uma distinção em quanto a considerá-lo industrial.
      É verdade que hoje é a indústria que nos prove dele; mas, é possível de se produzir socialmente e em pequena escala pelos usuários. Ele não é outra coisa que rocha calcária calcinada. Os romanos já faziam o cal virgem (igual como se faz hoje) calcinando numa pira de lenha a rocha.
      Voltando a tua pergunta:
      – O cal é um aglutinante que estabiliza a argila.
      – O leite (a caseína) também é um estabilizante da argila e confere à massa uma maior flexibilidade e deixa um acabamento acetinado.
      – O grude é outro aditivo que ajuda para que a massa grude melhor, quando se seca cria uma malha, como uma matriz para à fixação (idem nas tintas).
      – O esterco fermentado também reage com a argila e confere a ela todas as propriedades para que seja um excelente recurso para acabamentos.
      Abração e beijos
      Jorge

  8. Gracias Jorgito, como sempre muito esclarecedora sua resposta. Foi muito interessante nosso experimento. Para fazer diferentes testes (e para não ficar esperando até o esterco fermentar) fizemos uma massa MUITO simples, com receita de um amigo permacultor que está de visita, e o resultado foi surpreendentemente bom:
    – 1 balde de solo bem argiloso daqui.
    – 1/2 balde de areia
    – 1/2 balde de baba de cactus (mais ou menos, vai colocando até chegar no ponto desejado, fizemos bem mole, tipo massa de bolo)

    Aplicamos na parede com uma esponja e à medida que foi endurecendo um pouco fomos alisando mais e mais com a esponja. Ficou ótimo e sem nenhuma rachadura! Vale a pena vcs experimentarem, reboco interno com custo zero e mais um uso para baba de cactus.

    Obs.: Fizemos 2 paredes e deixei outras 2 para experimentar outras receitas.

    • Olá! Gostaria de saber a proporção de argila e areia desse reboco, pois o solo aqui é mais arenoso. Muito obrigada!!! Abraços 😉

      • Oi, Milena
        A proporção de argila/areia de um solo apto para construção é de 30%/70%.
        No post se detalha como dois baldes de areia e um de terra (proporção de aprox.2/3 de areia e 1/3 de terra) que terá alguma areia.
        Se você mistura numa garrafa garrafa: meia garrafa de terra de terra (da sua propriedade) com agua e chacoalha bem… no dia seguinte, por decantação natural, terá a proporção de areia e argila do solo. É só medir o total de material e dividir pela quantidade em cm de argila (o material mais uniforme que fica por cima) e logo pela areia (que é o material mais granuloso que fica por baixo). É uma regra do três para se obter a proporção de areia argila.
        Abraço.
        Jorge

  9. Oi Monica, voce pegou a baba como? bateu no liquidificador o cactus com a casca ?
    Obrigada,

    • Olá, Beatriz
      Para fazer a baba de cactos pega-se um pedaço, pica em cubinhos, coloca-se num balde com um pouquinho de água e vai batendo amassando, apiloando, com uma madeira. Depois que estiver bem amassado, pode colocar um pouco mais de água, e socar mais… Quando estiver uma baba bem verdona, coe com uma tela fina. O bagaço que fica, pode colocar mais água e seguir o processo , que ele solta mais e mais.
      Rende muito mesmo!
      Um abraço
      Suzana

  10. Olá! Fiquei com algumas dúvidas: o solo aqui já é na proporção de 60% areia e 40% argila. Sendo assim, coloco 2 baldes dessa terra pra fermentar com o esterco e depois acrescento mais 1 balde? Ou preciso do balde só com areia?
    Obrigada e grande abraço!

    • Oi, Milena
      Se já tens a proporção correta não precisas de areia a mais.
      Fermenta e usa, mas… sempre é bom fazer uma prova, de amostra, para conhecer a retração do teu solo.
      Logo de uma ou duas semanas (depende da grossura) terás uma ideia do comportamento da tua massa.
      Abraço.
      Jorge

  11. muito bom,estou pesquisando, se tudo correr como imagino farei uma casa dessas na praia.

  12. Bom Dia. Gostaria de saber de um aglutinante para fibra de coco triturada que temos em grande quantidade. Abraço eletrónico.
    Pedro

    • Oi, Pedro
      Depende para qual utilidade você quer aglutinar fibra vegetal; pode ser para combustão (briquetas), construção (adobe, reboco, cob), filmes ou papelão, etc.
      Existem muitos aglutinantes naturais, deverá escolher qual se adapta a sua necessidade.
      Para reboco o barro pode fazer esta função.
      Abraço.
      Jorge

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: