Tintas, impermeabilizantes e fixadores

Nossas paredes de taipa socada estão na fase de acabamento. A dúvida sempre foi o que fazer com elas? Cobrir com um reboco natural? Deixá-las ao natural?as paredes passaram um bom tempo sob as intempéries, recebendo chuvas, e as bordas dos pilares, por ser o caminho natural das águas, sofreu…

Foi preciso fazer um novo acabamento, com a mesma terra, e a colher de pedreiro, antes de fixá-las com algum produto, como mostra a foto abaixo.

Mas elas são de terra, assim, sempre ficam expostas a batidas, ao tempo, etc… Alguma proteção era necessária, mas queríamos manter, pelo menos dentro da casa sua cor e textura originais.

As opções eram baba de cactos ou o grude. Experimentamos a baba de cactos, feita com um pedaço de cacto (palma) apiloado, que vai dando uma baba espessa e vai-se adicionando água até que ela fique lavada. Esta calda grossa é passada num coador de pano e depois diluído em água. Na Casa mãe misturamos baba de cactos com cal e pintamos as paredes internas, com um resultado muito bom.

Resolvemos tentar passar apenas a baba diluída em água nas nossas paredes pois ela é incolor, assim manteríamos a cor original. Passamos 3 mãos, que foram absorvidas pela taipa. Surtiu um certo efeito, mas ainda seguia soltando um pouquinho de terra quando passávamos a mão. Então fomos para o plano B: grude!

Como a experiência de fixar a antiga argamassa nas paredes da casa mãe com o grude deu um resultado bastante efetivo, decidimos que poderia ser a nossa opção nas paredes internas. Jorge fez o acabamento, retocando os cantos e junções entre terra e colunas de madeira, local que mais sofreu neste tempo de obras.

Em seguida fizemos o grude, com 7 colheres de polvilho azedo, cozido em 1litro de água até ficar um pirão denso e meio transparente. Esta massa é diluído em mais 3 litros de água. Pronto: nosso fixador para as paredes está pronto. Agora é pintar as paredes.

O trabalho é leve e rápido, em menos de uma hora e meia fiz o grude e pintamos a parede, que ficou realmente bem, quando se passa a mão, a sensação é como um couro ou uma camurça.

Anúncios

9 comentários sobre “Tintas, impermeabilizantes e fixadores

    • Marly, esta parede pintada de terra cota com a tinta com base a grude é uma parede externa, orientação Sul, que aqui em SC é a que mais recebe ventos e água! Até aqui ela vem funcionando bem!

  1. Muito bom! Parabéns eu vinha acompanhando esse projeto , mais a dúvida era de como a parede ia suportar o tempo.Mais ai está uma bela idéia.

  2. Nossa amei tudo,eu ja tinha feito algumas coisinhas nesta linha aqui em casa,o meu marido vai construindo e eu vou tentando personalizar nossa casa,agora é como eu tivesse achado alguém que pensa igual a mim, amei tudo lindo.

  3. Não falo por experiência, apenas uma curiosidade que vi num programa de Tv: na construção de Alhambra – um forte islâmico localizado na Espanha – uma solução usada para evitar a ação do tempo nas paredes – feitas de terra, semelhante ao adobe – foi o uso de cal e areia.

    Segue o link; o trecho que fala sobre essa receita está por volta de 14:50 min. http://mundofox.com.br/br/videos/arquitetura-secular/alhambra/1111617596001/

    O que vocês acham desse tipo de acabamento?

    Abraço!

  4. Obrigado pelas otimas dicas, fotos e informaçoes! Começei um projeto experimental em taipa de pilao no ano passado e estou agora chegando na fase final da primeira construçao. Neste primeiro projeto uma trinca que pareceu ser causada por um abatimento na fundaçao, fato que, mais tarde, se mostrou incorreto, levou-me a introduzir uma serie de ‘lavagens’ nas paredes para melhorar o processo de cura.Este procedimento melhorou muito o produto final, retirando da camada mais superficial da parede todos os ‘finos’. E importante frisar que, devido á uma composicao de solo rica em silte, eu decidi introduzir uma pequena quantidade de cimento 10 kg para 3 carrinhos de mistura.

    • Oi, Jeff
      A baba de cactus, quando seca, polimeriza numa trama que é a que segura as partículas de terra e areia no reboco.
      É a substituição ecológica da função do PVA nas tintas industriais.
      As pedras não precisam de impermeabilização.
      Abraço.
      Jorge

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s