Deixe um comentário

Fios, tomadas, tintas… Luzes, ação!

No feriado de outubro passamos 4 dias em Yvy Porã, terminando as instalações elétricas, fazendo tintas, cortando grama, mantendo o banheiro seco… Uau, muitas atividades para uma única postagem! Assim, vamos separar por partes: seguiremos falando sobre tintas e as instalações elétricas.

Nossas instalações seguem pelo encontro entre paredes e forro, ali passamos os condutores feitos de bambus philostaquis, colhidos há 2 anos, na lua minguante de inverno e como última etapa de tratamento foram passados num maçarico, que trouxe o seu verniz natural a madeira. Na foto abaixo o detalhe da caixa de passagem: os fios de 4mm dentro da caixa e os mais finos, ainda sem estarem instalados, são os das tomadas e interruptores que descerão pelo bambu.

A instalação são separadas em 4 circuitos um amarelo e um vermelho para cada braço da casa:  quarto, banheiro e lavanderia e o outro sala, cozinha e varanda.  Cada braço segue com cinco fios de 4mm contínuos- sem emendas- por todo o perímetro da casa como árvore mãe. Os cinco fios são separados em cores: dois fios preto ( neutro), verde (fio-terra) amarelo para luzes e vermelho para tomadas. Estes fios são ligados em chaves térmicas distintas: o braço direito e o esquerdo da casa, e em cada um o amarelo e o vermelho.

De cada coluna desce a ligação de interruptores ou de tomadas com fios de 2mm. Estes fios são “pendurados” no fio principal, que não foram cortados em nenhum lugar. O plano de tomadas e lâmpadas foi amadurecido ao longo deste tempo na Casa da Montanha, assim, foi como montar uma instalação já vivida com muitas e muitas extensões.

O resultado do final de semana de trabalho foram as instalações praticamente prontas, dando até mesmo para ler sob o abajur herdado dos meus pais…

Bem achamos importante postar um passo-a-passo da tinta de “grude” que usamos tanto para fixar os tijolos e rebocos na casa mãe como a que pintamos a parede sul da casa da Montanha:

7 colheres de polvilho diluídos em 1 litro de água:

Levar ao fogo até dar o ponto:

Ainda quente acrescentar 1 colher de vinagre. Depois diluir em 4 litros de água. Na foto abaixo a parede da casa mãe, a da janela, mais escura recebeu a pintura, a mais clara ainda não.

E nesta foto as paredes da Casa da montanha, que receberam chuva: a da direita, que havia sido alisada e recebeu chuva no dia da pintura ficou manchada. Já a parede sul, mais rústica seguiu com a pintura intacta.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: