Os triângulos do telhado

Depois de muitos dias fora devido ao curso PDC relatado nas postagens anteriores, voltamos à Yvy Porã… Cheios de ânimo e vontade de seguir com a nossa construção, já que as vivências no Sítio Raízes do Pedro Marcos e da Eluza nos colocaram “água na boca” de ter o mais rápidamente possível nossa zona 1 feita e viver mais tempo por ali.

Com novos colaboradores pós curso: Juliana, de São Paulo e David, de Curitibanos, que fizeram o curso o se propuseram a vivenciar um estágio em Permacultura na casa da montanha e que estão em busca de novos caminhos. Ainda recebemos o casal Renata e Walfrido de Curitiba, que estão de mudança para Cabo Frio- outros permacultores se espalhando pelo Brasil… Toda esta turma foi importante na nossa conquista da semana: definir outro plano do telhado!

NA foto abaixo Jorge, Wal e Davi arrumando a junção das peças sobre o pilar da varanda.

david1.jpg

Assim fomos nós, enfrentar a tarefa de seguir com o telhado, numa etapa das mais delicadas- ainda que delicado seja sempre aquilo que vamos fazer pela primeira vez… Mas é um ponto inédito, a ponta do telhado que desce do centro até o canto da varanda. Para isto tivemos que levantar uma viga de eucalipto roliço de 5 metros de comprimento, que vai receber todo o peso dos caibros e das telhas…

Além de ser uma tarefa pesada, pois nosso eucalipto pesa muito ( o que mostra ser uma madeira dura e resistente) , era também era um jogo de encaixes já que os ajustes finos- ou seja, serrar as madeiras no ângulo e comprimentos exatos- não poderia ser feito no chão, e sim lá no alto, o mais perto possível do local definitivo! Ufa, que malabarismo!

Esta viga roliça vai dar a linha do limíte sudeste da casa, é um vão grande com mais de 5m de comprimento. Por isso já avaliamos que colocaremos uma mão francesa de segurança para dar mais apoio para que ela receba com segurança o peso deste telhado. Com ela e mais o prolongamento do caibro que vem do pilar central da casa, definimos o segundo triângulo de telhado, um triângulo escaleno, ou seja, com 3 lados diferentes, que forma um plano grande de cobertura de parte da cozinha e da varanda.

Para segurar esta viga pesada foi colocado um apoio de madeira como uma pequena mão francesa no pilar fixado por dois parafusos. Depois foi passado um barra rosqueada (um enorme parafuso que se compra em metro) que atravessou o pilar e a viga, recebendo arruleas e porcas de ambos os lados. Assim, a tensão que poderia tende a “puxar” o pilar para fora do seu lugar por causa do peso recebido, fica segura, amarrada com este parafuso passante.

david2.jpg

Na outra ponta, ou seja, sobre o pilar da varanda foi feito o mesmo, mas um trabalho ainda mais complexo, pois é o ponto de encontro do pilar, da viga da varanda e desta viga roliça que une o corpo da casa à varanda. Ali a barra passou pelas 3 peças, ou seja, desde a viga roliça, a outra viga da varanda e o pilar limíte da casa. Neste processo uma broca quebrou dentro da viga roliça, tal a dureza do cerne desta madeira. E ai foi aquele malabarismo para retirar o pedaço quebrado de dentro da madeira, e seguir com outra broca…

Depois fizemos os entalhes necessários aos encaixes e… tcharam!! Lá estava a linha do nosso novo pano de telhado- um pano que nem mesmo no SketchUp parecia muito claro se iria funcionar ou não! MAs ali estava, perfeito!

Saímos no final do domingo todos muito cansados e felizes, pensando em como os tempos são relativos: um dia e meio para se colocar dois pedaços de madeira? Sim, um tempo de olhar, medir, vivenciar o peso e o significado destas madeiras, deste compartilhar o tempo, a vida, o aprender- com muitsa conversas e aulas sobre tensão, compressão, medidas… Roçando os caminhos, cuidando da zona 1 e 2 da casa mãe, encontrando cobras e não tendo medo delas, visitando a Senhora e se emocionando, tomando um vinho, ouvindo a coruja na sua rotina noturna, olhando o beija-flor e os tucanos… E tendo certeza de que esta casa sai do chão com muitas histórias e muitas mãos amigas compartilhando o tempo, o trabalho, as emoções de todos nós…

Anúncios

5 comentários sobre “Os triângulos do telhado

  1. Suzana e Jorge

    Espero que vcs tenham um sistema de proteção contra inveja já planejado (hahaha).

    Os posts de vcs me ajudaram a mudar a linha que eu tava seguindo.

    Aguardo ansioso as próximas etapas.

    “saludos bolivianos”

    Hamilton, Livia, Helena e Matias

  2. Foi um prazerzão estar com vocês em Yvy Porã…Ótimo!
    Se precisarem de qualquer ajuda podem contar comigo!
    Saudades…

  3. Ola galera, meu nome e paulo Chagas, sou agente em desenvolvimento sustentavel pelo Centro Molinsson, sou Amazonense, em especial em Manaura, trabalho com permacultura, aindaconhecia este sitio é bem legal, trabalhei bastante tempo no institutu de Permacultura do Amazonas.
    Estou montado um sistema para trabalhar com coleta de água da chuva para Ribeirinhos da nossa região, gostaria de ideias e informações sobre Bombas hidraulicas alternativas

  4. Boa tarde Paulo, se é assim que possa me dirigir a V. Sª, .
    Aqui no nordeste, principalmante, na cidade de Sertania-Pernambuco, estamos as carreiras para conseguirmoe trazer água do Rioa SÃO FRANCISCO, para esta região, que como sabes, e deves ver em jornais e outros meios de comunicações, como ESTA AGAUA SERA BEM VINDA,
    aconteçe, que Sergipano, não será benefeciado com o projeto, por isto. É CONTRA,
    Até gostaria de ver tua opinião sobre o assunto,- vai aí meu e-mail conf. já está na msg. ageumenezes@gmail.com.
    um abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s