Deixe um comentário

Moçada em Yvy Porã

Nosso final de inverno foi agitado! Depois do mutirão do sete de setembro, tivemos outro final de semana com muitos visitantes. Mas como a proposta do espaço de Yvy Porã é receber pessoas e compartilhar o conhecimento, mostrando que as coisas são possíveis, ficamos felizes em acolher os caminhantes!

Thiago, biólogo de Cascavel- PR e que fez o PDC de Curitiba em julho, veio acompanhar o Jorge por uns dias em Yvy, depois de passar outros 4 dias com a Simone e o Gardel lá no Curupira (http://www.sitiocurupira.hpg.com.br/). Depois veio a Carol, Mariani e Isabel…

Na foto abaixo, Thiago e Fernando movimentando a terra da varanda. Os grumos de terra que não passam pela peneira e não serão usados nas paredes, vão nivelando o piso dentro e nos arredores da casa.

thiago-terra.jpg

No sábado, Cecilia e Lara vieram com os estudantes de arquitetura da UFSC, Fernando, Ícaro e Hugo. Com este povo junto, seguimos levantamos a quinta parede que ficou quase terminada, removemos a terra da parte da varanda, o que vai nos permitir fixar os 3 pilares da mesma e colocar o telhado em metade da casa e ainda colocamos mais alguns caibros no telhado.

Cecília vem assumindo o seu saber, e sendo uma grande instrutora de bio-construções, ensinando a como fazer uma parede, desde a colocação da fôrma, passando pela mistura, apiloamento, etc. Na foto abaixo ela dá instruções aos rapazes da arquitetura.

rapazes-cecilia.jpg

As paredes seguem bonitas, a cada erro descobrimos detalhes a serem cuidados, como o socar bem os cantinhos, a passada de leve na primeira socada, uniformizando o material, e até o barulho característico de quando a sacada está boa, e pode-se passar para a próxima camada!

Neste período chegaram as telhas – outra novela da construção. Decidimos facilitar esta etapa, e fizemos uma concessão! Estaremos usando o último dos ERRES (o primeiro, que é o RECUSAR tem sido o que mais utilizamos nesta casa! Mas nas telhas chegamos ao Reciclar). Vamos usar as telhas feitas de restos de embalagem tetrapack. São telhas moduladas, de 90cm por 2,10m, que pesam 13 kg cada uma, fáceis de movimentar e que exigem menos madeiramento, já que pedem apenas apoios a cada 1m (3 pontos de apoio por telha).Nesta foto, Jorge colocando um dos caibros e as telhas já na obra.

jorge-caibros.jpg

Achar esta telha em Florianópolis não foi fácil, e o preço nada convincente! Entramos em contato com o Agostinho, dono da loja Verde Vale, de São Pedro de Alcântara, demos o contato dos fabricantes e ele acabou se cadastrando como fornecedor e assim compramos as telhas lá em São Pedro mesmo- novamente fazendo aquele movimento de inserir-se na comunidade. Assim, se alguém em Florianópolis ou região desejar comprar a telhas, um caminho que acabou ficando mais barato, é o da Verde Vale…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: