Casa, planejamento, materiais, etc.

Muitas vezes nos perguntam sobre esta ou aquela técnica de construção. Qual a melhor?

Bem, fazer uma casa passa por vários pontos:

– quem são as pessoas que vão morar ali?

– quais os seus desejos e suas necessidades?

– qual o local e o que ele oferece?

– quem vai fazer esta casa?

Nossa casa na montanha teve no mínimo uns 12 projetos, muitos deles antes mesmo de ter a terra! E depois de escolher o local, pelo menos 3 desenhos.

Decidir os materiais e o sitema construitivo é outro trabalho de observação. O que o local me oferece? Nossa vizinha, D. Verônica, poderia construir facilmente com pedras, pois seu pasto tem muitos locais cheios de afloramentos de grandes seixos. Pedro Marcos e Elusa, permacultores de São José de Cerrito, fizeram a reforma da sua casa e construiram metade com super adobe (com a terra vinda da bacia de evapo-transpiração, e a parte de cima com fardos de palha, do arroz colhido nos anos anteriores e enfardado por eles…).

Bem decidir “como e com quê” vou fazer a minha casa é o trabalho do João de Barro, ou dos canários, que fazem o ninho com os materiais que encontram… Em seguida a escolher o material, vem a decisão sobre qual o sistema construtivo…Se escolho uma determinada técnica para fazer minha moradia, seja de cob, taipa, super adobe, pedras, ou fardos de palha, antes de olhar o que o local oferece é como comprar vacas de leite antes de ter um local para elas e como alimentá-las! É o famoso colocar o carro na frente dos bois!

Algumas técnicas, usando diferentes materiais, às vezes caem na graça da mídia, e ai, se torna “a receita”, ou seja, novamente a técnica acima da compreensão e da concepção sobre o que é o ecológico ( eco = casa e lógica = lógica) … Ecologia é observar, interagir, acatar e criar com o que o meio me oferece, não comprometendo gerações futuras.

Em Yvy não temos pedras, temos madeiras, sim, muitas, pois são 72 hectares de mata, e terra, sim, o solo…Para usar apenas madeira teríamos que cortar muitas árvores. Isto não nos agradava muito! Ainda que num manejo correto, isto seja possível.

Nossa opção, depois de viver por quase 3 anos o espaço, observar as estações, o frio, o quente, os ventos etc, foi pela construção com terra e ao sistema escolhido foi a taipa socada com pilares feitos com os eucaliptos locais. Esta escolha levou em conta o conforto térmico, o fato de ser uma técnica simples e de certa maneira leve, e também os nossos tempos para fazê-la! Como temos um solo argiloso e muita umidade, também optamos por fazer os alicerces de pedra, para isolar melhor as paredes do solo.

Escolhidos os materiais e o sitema construtivo, vamos fazer contas! Aqui não são de custos, mas de quantidade de terra. Como se calcula quanta terra vai numa construção?

Comprimento x altura x espessura das paredes.

Mas cuidado ( dica de professora de matemática): transforme todos os dados em uma única unidade ( o metro) antes de fazer as contas! Quer dizer, a espessura, se é de uma parede de 30cm, deverá entrar na contas na unidade metro, ou seja, 0,30m…

Assim calculamos quanta terra iria na nossa casa:

30 metros lineraes de paredes x 2,10m de altura x 0,15m de espessura nos dá aproximadamente 9,5 metros cúbicos de parede. Como assim metro de parede? A taipa trabalha compactando a terra quando ela é socada, assim, ela diminui o volume “original” e apiloada dentro da forma adquire a rigidês estrutural. Então para fazer as paredes devemos ter o dobro de volume de terra porque vamos compactá-la para estabilizar a argila. Então precisamos de uns 20 m³.

E esta terra vem de onde? Tirar isto cavando um buraco, daria uma piscina de 5 x4 m e um metro de profundidade. Mas… não pretendíamos fazer uma piscina!

Uma casa já é um impacto num terreno, então fizemos a escolha por um impacto inicial maior, fazendo um certo movimento de terra para separar este material para as paredes. Assim decidimos “cortar o cucuruto do morro”, e esta foi a única entrada de máquina no terreno. Este trabalho acabou tirando mais terra do que os 20m³ previstos, o que não foi um problema, já que temos no design planejado a construção de uma oficina, ao lado da casa, que também será construída com terra, talvez pau-a-pique…

Na foto abaixo o terreno em seguida à entrada da máquina. O monte à direita é um dos dois montes de terra separados para a obra. O solo superficial, mais rico, foi separado em outro monte para ser usado posteriormente, em canteiros.

terra.jpg

Bem, muitos perguntam pelo uso do super adobe, parece que esta técnica, graças os Globo Repórter sobre construções ecológicas, caiu na moda da mídia, e muitos “descobriram” que se pode construir com terra! Que bom abrir novos horizontes, mas que ruim cairmos no mito da técnica pela técnica! Nesta construção o volume de terra é muito maior, pois a largura é dada pelo tamanho do saco usado, que fica entre 45 ou 60cm de largura! É uma construção sólida, sem dúvida, mas pesada de ser feita e que usa muita terra! Na nossa casa usando este sistema o volume seria facilmente multiplicado por 3 ou 4, ou seja, estaríamos entre entre 60m³ ou 80m³ de terra… é terra, heim!

Sistemas construtivos com terra existem muitos: adobe, cob, taipa socada, pau-a-pique, tijolos de solo cimento…

A escolha é que deve ser uma ação complexa, e usando Basaarab Nicolescu, no “Manifesto da transdiciplinariedade” a complexidade exige “amplitude, tolerância e rigor”.

Amplitude para olhar o entorno e pensar soluções corretas e adequadas.

Tolerância para poder fazer concessões quando estas sejam possíveis e sem consequências para as gerações futuras.

Rigor, para saber recusar, dizer não, ainda que isto nos ponha a ter que decidir e começar planejar tudo de novo!

Se usarmos estes critérios para pensar, planejar e construir nossas moradas ecológicas, estaremos num bom caminho!

Anúncios

3 comentários sobre “Casa, planejamento, materiais, etc.

  1. Olá, sou Simone e faço parte de um grupo de SP e Nazaré Paulista que está se organizando para fazer nascer uma Ecovila, a Moarandú. Somos 10 famílias e estamos há 2 anos juntos pesquisando e fortalecendo as relações. Também pesquisando achei teu site (muito útil porque pragmático), e achei interessante te ver como Pronera também !! Aqui em SP faço parte do Incra/Pronera como co-asseguradora.
    Em abril a Uniluz, entidade que apoiamos, vai fazer um evento de Ecovilas com a participação de Johann/Tiba, Hiroshi, Susan Andrews do Visão Futuro com as intenção de estreitar laços. Enfim, esta msg é para dar um retorno de que teu site é bem-vindo para quem está na estrada, pretendo ficar em contato.
    abração,
    Simone

  2. Estou construindo uma casa em lugar lindo no alto de uma montanha na cidade de Extrema MG , quero muito fazer a casa utilizando o ADOBE mas preciso aprender a fazer vcs sabem podem me ajudar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s