2 Comentários

Iniciando as paredes

Desde muito antes de começarmos o projeto da casa havíamos decidido que nossa casa seria de taipa socada. Esta opção foi tomada considerando-se muitos fatores:

  • é um material ecológico e disponível no local
  • permite que a experiência de construir seja replicada por outras pessoas
  • tem bom isolamento térmico e acústico
  • tem o sabor de algo “feito à mão”.

É importante saber qual o solo que cada um tem… O teste da garrafa Pet é sempre uma boa prova para se iniciar a observação do que se tem e o que se deve fazer! Lembrando-se de que é uma construção orgânica, quer dizer, com complexidade, movimento, vida. O seu solo pode mudar dependendo do local, profundidade, etc.

O teste do solo pode ser feito numa garrafa Pet, onde se coloca um terço dela do solo que será usado, preenche-se de água, mistura-se bem agitando a garrafa e espera-se decantar. A granulometria é clara: areia no fundo, argila mais fina em cima. Nosso solo apresentou em vários testes 60% de argila e 40% de areia.

Abaixo a foto de um dos nossas testes.

teste.jpg

Assim, começamos as paredes! Jorge fez a forma de 1,5m de comprimento por 0,6m de altura. Alguns sarrafos de madeira reforçam a estrutura, para que ao socar a terra a forma não abra, ou forme barrigas.

Esta forma é presa na parte de baixo por 3 parafusos que passam de lado a lado e travados com porcas e arruelas. Na parte de cima por 3 sargentos, que seguram a forma para que ela não se abra.

Assim, vai se socando a terra, e quando se enche a forma, retiram-se os parafusos, os sargentos, e a forma. A parte de baixo está pronta, pode-se assim, subir a forma para a próxima camada. Alguns detalhes simples que permitem esta operação:

  • dentro da forma, passar os parafusos por dentro de um canudinho de bambu, pois se não, ao socar a terra ela prenderá os parafusos e não será possível retirá-los.
  • prender sempre a forma na parede que foi feita anteriormente, se for acima irá ficar uma camada sem compactação.
  • compactar devagar. As camadas muito grossas de terra compactam apenas a parte de cima, a de baixo fica sem compactação e isto compromete a estrutura da parede

Na foto abaixo estes detalhes da forma, vejam os canudos de bambu por onde passam os parafusos.

forma.jpg

Um dos segredos das construções com terra é a proporção de argila x areia que deve ser seguida sempre: 40%argila, 60% de areia, isto consta de todos os manuais, livros, etc de construções com terra.
Com o desejo de simplificar o processo e de acelerar a obra experimentamos fazer as primeiras fileiras com o solo peneirado direto, isto é, mantendo a proporção natural do mesmo. Era a parede sul, que ficará atrás de um armário, possivelmente, quer dizer, um excelente espaço para testes! Como temos muita argila, abriram imensas rachaduras. Argila demais se contrai, ao se contrair separa dos pilares mais do que o desejável, e abre fendas – proporcionais ao tamanho da parede. Se a parte socada for pequena, racha menos, se for maior, racha mais…

Se houver areia demais a parede cai… Conta uma história real, que uma parede feita num assentamento do MST ao ser socada cada fileirinha, a de baixo caia, e caia, e caia… Os agricultores diziam que algo estava errado, mas o profissional afirmava, teimosamente, que não, que era assim mesmo… Resultado- o profissional virou as costas e os assentados demoliram as paredes que ameaçavam cair sobre alguém… Um destes agricultores, num curso PDC, ao ver uma parede bem feita e ao ouvir a explicação da proporção argila areia sorriu e disse “Claro, nosso solo é muito arenoso, por isso as paredes caiam…”.

Ao ser socada o solo argiloso fica realmente lindo, parece uma parede sólida, firme, linda! Mas ao secar é que acontece a contração… Ela se separaou demais dos pilares e rachou muito…

Resumindo, a vontade de ter menos trabalho, causou trabalho em dobro, pois tivemos que cobrir as rachaduras depois, usando barro, areia e cal, que estabiliza a argila.

Mas como tudo é experiência e quem pensa sobre seus erros cresce e aprende, conseguimos chegar à mistura ideal para o nosso solo:

40% de argila – 2 baldes de terra peneirada

60% de areia – 1 balde de areia média

10% deste total de cal – 1/3 de balde

Uma dica importante é misturar primeiro as partes secas (areia e cal), depois a terra e finalmente colocar a água para dar a consistência ideal para socar , nem muito seca, nem muito molhada. Este ponto é absolutamente empírico, ou tátil: a melhor prova é pagar um punhado na mão e apertar, em seguida balançar este bolinho segurando apenas com polegar e indicador. Ele deve estar firme e não quebrar muito facilmente.

Como vamos vendo e aprendendo, o caminho se faz ao caminhar! Muitos passo, alguns erros, outros tantos acertos.

Tem sido uma fantástica experiência esta de fazer a casa com as mãos, num tempo nosso, num rítmo nosso. É uma obra absolutamente própria, com personalidade… Eu sei, Jorge sabe, cada coisa como é feita, por que é feita, que tempo leva, a energia que gasta.

Sim, sim, nossa casa vai saindo do chão! E o mais delicioso é saber que “nós sabemos fazer isto, fomos nós que fizemos, com essas mãos”.

Na foto abaixo as primeiras filas de parede socada em fevereiro de 2007.

parede1.jpg

Anúncios

2 comentários em “Iniciando as paredes

  1. Esse gesto de imenso desprendimento e bondade de vocês ao nos oferecerem a oprtunidade de conhecer os passos da obra do seu lar!
    Me sinto feliz ao partilhar, pelo menos na rede, dessa alegria em ver uma obra pelas próprias mãos de quem cultivou um sonho.
    Obrigada.

  2. Como faço o teste para saber o tipo de solo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: